Cartão de crédito: herói ou vilão?

Cartao de credito

Muito se fala sobre o cartão de crédito como um grande vilão para as finanças e dívidas de uma pessoa, mas, será que ele realmente é esse vilão tão terrível?

Já vi muitos artigos, livros e matérias recomendarem às pessoas que cancelem e cortem seus cartões, para que possam colocar as suas contas em dia. Mas será que a culpa é realmente do cartão?

Recibo cartao de creditoVamos analisar o caso mais friamente? Quem é o real vilão? O cartão ou o portador do cartão? Essa é fácil de responder: o portador do cartão é o verdadeiro vilão, afinal, o pobre pedaço de plástico não tem vontade própria, não é mesmo? Ou alguma vez seu cartão de crédito pegou as chaves do carro, foi ao shopping sozinho, e voltou carregado de sacolas?

Um cartão pode tanto ser bom ou ruim para uma pessoa, o que vai influenciar a balança são as atitudes e a consciência da pessoa, repito e enfatizo, a consciência!

O cartão de crédito pode ser um grande aliado, basta usá-lo a seu favor, e não contra. Ok, vamos lá, e como isso é possível, se além de pagar anuidade, eu sempre gasto mais do que posso, nunca pago a fatura inteira, e me afundo em juros exorbitantes, virando uma bola de neve sem fim?

Volto a dizer, a consciência é a solução, o que muda de um cartão de crédito para um de débito? A diferença é uma só, com o de débito, o dinheiro precisa estar na conta quando você fizer a compra, e no de crédito, o dinheiro precisa estar na conta no dia de vencimento da fatura. A diferença é sutil, mas que infelizmente faz muitas pessoas se enrolarem.

Com o uso consciente do cartão de crédito, você não terá problemas, porque você só comprou e gastou o que você tem condições, o que você possui o dinheiro disponível para pagamento integral da fatura no dia do vencimento. Ou seja, o cartão de crédito atua como um cartão de compra. Com isso vocês podem se perguntar, se eu tenho que ter o dinheiro na conta, pra que usar o crédito, e não o débito? Pergunta interessante, que faz muito sentido, e que pode ser respondida, mas para isso, vamos a algumas vantagens do cartão de crédito:

  • centralização das despesas em 1 só local, com possibilidade de relatórios online e impressos, o que aumentam a controle, e permitem identificar com mais facilidade onde você está gastando seu dinheiro.
  • programas de recompensa, que fornecem pontos para serem trocados por benefícios, como viagens, presentes, etc.
  • não preocupação com limites diários e semanais de um cartão de débito.
  • vantagens adicionais dependendo do cartão como seguros em viagens, assistência residencial e veicular, etc.
  • maior flexibilidade e liberdade em trabalhar com o dinheiro.
  • possibilidade de parcelamento sem juros (substituindo os parcelamentos sem juros do antigo e perigoso cheque, mas, lembrando que todo parcelamento é uma dívida).
  • possibilidade de fazer compras no exterior.
  • serviços de concierge.
  • descontos em cinemas, teatros e restaurantes.

Essa são algumas das vantagens, então como saber se vale a pena ter um cartão? É simples, basta ver o custo da anuidade, e o que o cartão oferece em retorno com os benefícios, programa de recompensas, serviços, descontos, etc.

Com esses números, é só fazer a conta, e se o custo para ter o cartão for menor do que os benefícios que ele oferece, ele é um candidato em potencial. E atualmente, existem cartões com ótimos benefícios e anuidades grátis, além que a concorrência é grande, e muitos emissores estão oferecendo anuidades gratuitas para seduzir o cliente.

Existem cartões para diversos perfis, basta olhar nos sites dos principais emissores, provavelmente vai existir algum que se enquadre no seu perfil. Eu por exemplo, possuo um cartão que não tem anuidade pro resto da vida, e me oferece uma série de benefícios, como assistência veicular (já precisei dela), alguns seguros, e uma assistência a viagens muito boa.

Agora, um ponto importante, é que quem não possui consciência para ser portador de um cartão de crédito não deve tê-lo, até adquirir essa consciência. E essa consciência é fundamental para atingir a tão desejada independência financeira.

Este post não tem o intuito de dizer para ninguém adquirir um cartão de crédito e nem fazer propaganda de nenhum cartão, e sim, apenas mostrar que o cartão não é o vilão, e sim que o culpado é o dono do cartão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *